Banner Transmissão Ao Vivo

Um acordo, que firma convênio entre a Universidade Federal do Pará (UFPA) e instituições da Guiana Francesa foi assinado em reunião no gabinete da reitoria da UFPA, na manhã da última terça-feira, 25. O contrato é o Acordo Quadro de Cooperação na Área da Educação e Formação Profissional (FORPRAM), que visa a integração da Educação e Formação Profissional com uma formação continuada dos agentes das instituições envolvidas.

 

De acordo com o Assessor de Educação a Distância da UFPA, professor José Miguel Martins Veloso, a ideia do acordo surgiu com a compreensão de que a Guiana Francesa e os estados brasileiros da Amazônia precisam fortalecer os laços comuns de cooperação, além de serem motivados pela intenção de desenvolver o conhecimento mútuo através do estreitamento das suas relações culturais e educacionais, com o intuito de desenvolver de maneira significativa as relações bilaterais.

  

O reitor da UFPA, professor Carlos Edilson de Almeida Maneschy, destacou a importância dessa parceria, frisando que as instituições brasileiras que participam desse acordo ainda são novas e têm muito a crescer, e esse caminho é pela educação. “E como podemos fazer isso são com as parcerias com países vizinhos ou de fronteiras (...). Identificamos alguns eixos de interesse em comum, mas são apenas alguns eixos, pois ainda virão outros, porque são os interesses que nos unem. Assinaremos o acordo, não apenas como um ato simbólico, mas na expectativa de estarmos fazendo história. Cinco eixos, e podem ter certeza de que faremos todo o possível para a realização do que acordamos”, afirma o reitor.

 

Entre os presentes na reunião, estava o reitor de Educação da Guiana Francesa, Denis Rolland, que pontuou cinco problemas que são comuns no Brasil e na Guiana Francesa, os quais também estão apontados no acordo como aditivos, que são: formação a distância; agricultura; analfabetismo e baixo nível de escolaridade; aplicação da pesquisa e extensão em recursos naturais, alimentos, gerenciamento de sistemas e empreendedorismo; e práticas de sucesso na formação profissional em artes. “Temos problemas em comuns, como analfabetismo, desenvolvimento no ensino médio, entre outros, e temos necessidade de colocar soluções. Por isso, precisamos realizar pesquisas sobre biorrecursos, desenvolvimento empresarial, formação profissional... Na Guiana Francesa, por exemplo, não temos desenvolvimento nas Artes Plásticas, diferente aqui do Brasil”, ressalta Denis.

 

Rolland frisou, também, a satisfação dessa integração na educação entre os dois países. “Estamos muito satisfeitos com essa reunião, pois é o trâmite final de nossa cooperação. E esperamos que seja uma de muitas outras cooperações com a Guiana francesa e Brasil, especialmente no Pará. Vai nos permitir pensar temas complicados, como a mobilidade profissional entre essas regiões na América do Sul”, relata.

 

Para o pró-reitor de Relações Internacionais da UFPA, professor Flávio Nassar, um dos destaques da parceria é, principalmente, a educação a distância em relação ao conhecimento da língua francesa. “A educação a distância na França é uma referência para nós. Ofertar curso de Francês a distância, ajudaria os nossos alunos a escolherem a França para o Ciência sem Fronteiras, pois temos dificuldade de preencher vagas, devido a língua estrangeira”.

 

O acordo: São nove artigos que integram o acordo, sendo os seguintes: 1) Ações de formação continuada; 2) Estágios; 3) Formação linguística; 4) Intercâmbio de recursos, experiências e pessoas; 5) Mobilidade e encontros; 6) Site digital; 7) Grupo de acompanhamento; 8) Termos aditivos e 9) Renovação.

 

As instituições integradas no acordo são: Universidade Federal do Pará (UFPA); Universidade do Estado do Pará (UEPA), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Do Pará (IFPA), Agrupamento de Interesse Pública Formação Contínua e Inserção Profissional (GIP FCIP), Universidade das Antilhas Guiana (UAG) e Diretoria da Alimentação, da Agricultura e da Floresta (DAAF). O convênio acontece com o apoio da Região Guiana autoridade de gestão do Programa Operacional Amazônia, no âmbito do financiamento do projeto FORPRAM.